Image default
Anime Críticas

Viva as idols de Zombie Land Saga!

Zombieland Saga (ゾンビランドサガ) é uma série de anime produzida pela Avex Pictures em colaboração com a Cygames, animada pelo estúdio MAPPA. Sua primeira temporada, que teve 12 episódios ao todo, já acabou e está disponível para streaming no site e aplicativo da Crunchyroll nacional. Confira logo abaixo a nossa crítica completa em vídeo e em texto desse anime que foi um dos mais legais da temporada de Outono 2018!


Veja também:


O vídeo de review acima foi postado no nosso canal parceiro Aquele Cara

No topo das paradas

Zombie Land Saga é um anime diferente e tão especial que, mesmo integrando o saturadíssimo universo dos zumbis, conseguiu encontrar uma nova e empolgante abordagem para os monstros, graças a uma metáfora muito esperta: associar o mercado de idols no Japão ao tratamento dado às mortas-vivas da sérieA crítica não é sutil, mas funciona muito bem por dois motivos.

Primeiro, suas personagens, músicas, universo e trama são cativantes e prendem o espectador que curte um pouco de humor negro e pastelão. Segundo, e muito mais importante, Zombie Land Saga claramente tem apreço e compreensão da realidade das idols, relatando de forma crítica, porém apaixonada, tudo de bom e ruim que o acompanha. O anime funciona mesmo que você não saiba absolutamente nada sobre a vida das idols no Japão, mas sua mensagem fica mais pertinente se você souber, pelo menos, um pouquinho sobre seu trabalho.

Por lá, as idols são celebridades muito famosas que vivem vidas super regradas. Como elas vendem não só a sua música, mas também sua imagem atrelada, a rotina das idols é monitorada pelos fãs e mídia constantemente. É necessário vender a imagem da perfeição, então até o vazamento de informações sobre sua vida particular, como um namoro ou qualquer coisa indecorosa, seria vista como destruidora de reputação e, potencialmente, carreira.

As meninas do anime Zombieland Saga
As meninas do anime Zombieland Saga

Já vem daí o primeiro acerto de Zombie Land Saga, ao colocar o grupo de heroínas como zumbis comandadas por um empresário aparentemente inescrupuloso que pretende usar as meninas para alcançar o sucesso, mas sempre escondendo do mundo sua verdadeira forma de zumbis. E tome quilos de maquiagem para deixar as cantoras apresentáveis!

Umas mortas muito loucas

Os primeiros dois ou três episódios não vão muito além dos pontos acima, e funcionam como uma apresentação temática, mas a diversão começa para valer a partir do momento em que as zumbizinhas decidem que seu grupo se chamará Franchouchou e começam a gostar de verdade da ideia de fazer sucesso e encantar o mundo com suas performances.

Em um excelente trabalho de narrativa, elas constroem um forte vínculo de amizade, sem precisar de grandes momentos de exposição ou didatismo exacerbado no roteiro. É nas atividades do dia a dia e em momentos que parecem mero alívio cômico, como a gravação de um comercial para a rede de fast food local, que sua amizade se fortalece. Quando você menos esperar, vai estar amando as meninas do Franchouchou, torcendo por elas e se emocionando com sua amizade verdadeira.

O miolo da temporada é minha parte favorita de Zombie Land Saga, porque ganhamos alguns episódios temáticos mostrando o passado das meninas, e como ele se amarra com o presente. E bom, o que eu posso fazer, né? Eu amo Lost e esse tipo de narrativa sempre funciona comigo.

A pequena Lily-chan estreia um dos melhores momentos de Zombieland Saga
A pequena Lily-chan estreia um dos melhores momentos de Zombieland Saga

Especialmente no episódio sobre a idol mais jovem, a Lily-chan. Acho que dar qualquer spoiler sobre ele devia ser tipificado como crime no nosso Código Penal, mas eu adorei como ele conseguiu passar uma boa lição de representatividade ao mesmo tempo em que não se envergonhava de contar uma trama bem emocional repleta de sutilezas.

Verdadeiras idols

Como esses episódios do miolo para a frente passam a culminar em performances musicais que aquecem o coração do público da Franchouchou ao mesmo tempo em que ajudam as garotas a moldar suas identidades e resgatar suas vidas pouco a pouco, em uma grande corrente de otimismo, eu senti uma energia muito parecida com a daquele jogo de DS, o Elite Beat Agents, em que o poder da música ajuda as pessoas a resolver os menores casos do dia-a-dia.

O zombie rap, postado no canal oficial da Crunchyroll Brasil, é um dos momentos mais engraçados e bem animados da série

Isso, a meu ver, foi o verdadeiro toque de mestre de Zombie Land Saga. O que começa como uma potencial leitura cínica sobre o universo das idols, logo se transforma em uma carta de amor super positiva ao mundo do entretenimento, apreciando tudo que ele pode trazer de melhor para a sociedade, mas sem poupar socos pelo caminho. Como dizem, a história do entretenimento é sempre escrita com muito sofrimento.

Apesar de seu final ser bem redondinho, correto e emocionalmente satisfatório, ficam alguns ganchos e pontas soltas que apontam para uma segunda temporada. Eu gostei tanto da série que já estou na torcida mas, se ela nunca acontecer, tudo bem. Já me satisfaço em passar o resto dos meus dias ouvindo a discografia da Franchouchou. Obrigado pelo show, garotas!!!

[rwp-review id=”0″]

Related posts

Fortnite Battle Royale | Pacote Selvageria já está disponível

Rodrigo Estevam

Fortnite | Como completar todos os desafios da Semana 2 da Temporada 3

Rodrigo Estevam

Fortnite é banido das lojas de aplicativo Apple e Google

Rodrigo Estevam