Image default
Séries Top 5½

Top 5½ Séries sobre viagem no tempo

Viajar no tempo é um dos desejos mais antigos, procurados, utópicos e… versáteis (?) da humanidade. Corrigir erros da sua vida? Desfazer guerras e injustiças históricas? Mudar a sua própria vida para ganhar benefícios? Tornar-se adulto para salvar o mundo? Ficar rico com um almanaque de resultados de jogos esportivos? Ir em um restaurante exótico? É, tem muita coisa para fazer!

Mas já que não temos tanto tempo disponível assim, separamos as cinco melhores séries de TV sobre viagens temporais para você assistir e acompanhar — e uma que não consegue ir muito bem nesse quesito. Está pronto para essa viagem pela ficção? Não temos mais um minuto para enrolar nesse Top 5 ½!

5. DC’s Legends of Tomorrow

Quando o futuro do planeta está em perigo, um viajante do tempo volta até 2016 e reúne um time de super-heróis e vilões, cada um com uma especialidade… ou quase isso! Rip Hunter, um Mestre do Tempo desertor, quer evitar que o maléfico e imortal Vandal Savage domine o mundo no futuro.

Após ver sua esposa e filho serem assassinados por Savage, Rip decide viajar até 2016 e reunir uma equipe de heróis e vilões habilidosos e viajar através do tempo para tentar impedir os planos do tirano antes de sua ascensão ao poder. Segundo Rip, mais do que mocinhos ou bandidos, no futuro os membros de seu grupo serão conhecidos como verdadeiras lendas.

LOJA PLAYREPLAY

Agora, ao lado de Átomo, Canário Branco, Nuclear, Mulher-Gavião, Gavião Negro, Capitão Frio e Onda Térmica, Rip segue os rastros de Savage no passado, presente e futuro da humanidade em aventuras que vão desde lidar com humanos-pássaros-mutantes dos anos 50 até combater robôs gigantes no século 22.

E o melhor de tudo: a série se passa no mesmo universo que The Flash e Arrow, então não é muito raro que personagens dessas séries façam participações especiais. Se você curte histórias de super-heróis e viagens no tempo, dê uma chance para DC’s Legends of Tomorrow!

4. 12 Monkeys

No futuro, a maior parte da humanidade morreu. O motivo: um vírus poderosíssimo foi liberado pelo terrível “Exército dos 12 Macacos” e dizimou mais de 90% da população mundial.

No ano de 2043, uma brilhante cientista chamada Katarina Jones e sua equipe descobrem uma forma de enviar pessoas através do tempo e resolvem tentar a sorte ao mandar James Cole para o passado visando ajudar a doutora Cassandra Railly, uma brilhante virologista, a encontrar uma forma de impedir a liberação do vírus e salvar o futuro dos humanos na Terra dos planos do Exército dos 12 Macacos.

Cheia de reviravoltas, personagens interessantes e com uma trama muito bem construída, 12 Monkeys é baseada no filme homônimo estrelado por Bruce Willis em 1995, mas segue uma linha um pouco diferente. Vale a pena conferir!

3. Quantum Leap

A Organização Mundial de Manipulações no Tempo sempre adverte que toda viagem temporal deve poder responder duas perguntas: “para onde estamos indo?” e “como vamos voltar?”. Felizmente, pra nós, o cientista Sam Beckett não prestou atenção nas recomendações. Ele é o protagonista de Quantum Leap, série americana lançada pela NBC nos anos 90 e que durou interessantes cinco temporadas.

Depois de participar de uma experiência arriscada no projeto científico que pesquisava, Sam incorpora o papel de uma outra pessoa na história a cada salto no tempo e deve cumprir uma “missão”, mudando o curso dos fatos, para continuar viajando. Suas únicas companhias são o super computador Ziggy e Al Calavicci, seu melhor amigo, que aparecem em suas viagens para ajudá-lo a conhecer o seu propósito naquela linha temporal.

Uma ótima pedida para aqueles que não gostam de extraterrestres e/ou coisas fantásticas no meio da história, Quantum Leap revisita muitos momentos e personalidades históricas — de Michael Jackson e Marliyn Monroe a Donald Trump e o assassino de John Kennedy — com muita emoção e personalidade. Com aquele toque clássico dos anos 90 e uma trama interessante, a série tem tudo para conquistar os amantes mais novos de viagem no tempo.

2. Life on Mars

Convenhamos que, para nenhum ser humano normal que viajar no tempo, vai ser fácil aceitar essa condição. Já que, por enquanto, consideramos viagens temporais algo inalcançável pela ciência, não seria incomum pensar que morremos, entramos em um estado de coma ou algo do tipo (não é mesmo, Ash?). Essa dúvida é o ponto-chave da trama de Life on Mars, uma ótima série feita pela BBC entre 2006 e 2007, com apenas duas temporadas.

Tudo gira em torno da figura de Sam Tyler, um detetive que trabalhava na Greater Manchester Police até ser atingido por um carro e, bom, acordar no ano de 1973 para trabalhar, também como detetive, mas agora nos primórdios de seu emprego antigo. Além de ter que enfrentar uma realidade completamente diferente que os anos 70 tinham, Sam tinha a grande missão de entender se ele realmente viajou no tempo ou está em coma, em algum lugar, apenas sonhando tudo.

Mesmo que não tenha chegado forte ao Brasil, Life on Mars fez um grande sucesso mundo afora, chegando a ser regravado nos Estados Unidos, Espanha e Rússia, com personagens e ambientes locais de cada país. Além de uma trilha sonora invejável (o nome da série é uma música de David Bowie, por exemplo), a trama vai te conquistar e, provavelmente, te deixar um pouco mais confuso que o próprio Sam.

1. Doctor Who

Viagens temporais, alienígenas, paradoxos, regenerações, grandes aventuras e uma máquina do tempo que é maior por dentro: essa é a fórmula da “série de ficção científica mais bem sucedida da história”, segundo o Guinness Book. Doctor Who surgiu ainda no longínquo ano de 1963, com a premissa de ser uma série educativa feita pela BBC, mas tornou-se rapidamente um ícone da cultura britânica e um dos maiores clássicos das aventuras pelo espaço-tempo.

Toda a série conta a vida d’O Doutor, um ser da raça dos Senhores do Tempo, que gosta de viajar por aí usando a sua máquina do tempo, a TARDIS, que tem o lado de dentro maior que o de fora e, por uma falha nos seus sistemas, ela tem uma camuflagem de “cabine policial azul dos anos 60”. Além disso, ele assume, de tempos em tempos, novas personalidades (e novos atores), fato chamado de “regeneração”, que revigora a série a cada novo Doutor que aparece.

Ele sempre anda com as suas “companhias”, amigos (quase sempre) humanos, que o acompanha em suas aventuras para salvar momentos históricos, visitar planetas alienígenas e conhecer as raças mais estranhas e perigosas do universo. Estranhas mesmo, eu diria… Afinal, quem diria que os Daleks, os arqui-inimigos dos Senhores do Tempo, pareceriam saleiros gigantes com um desentupidor na cara?

Em mais de 50 anos de série, Doctor Who acumulou cerca de 35 temporadas, um filme e um número enorme de livros, histórias em quadrinhos e audiodramas, mostrando a importância do universo expandido da série, fato que a fez sobreviver por um hiato de 16 anos (de 1989 a 2005, quando voltou a ser produzida). Por isso, seja por onde vai começar, você sempre vai ter uma nova aventura do Doutor para se maravilhar e se emocionar.

½. The Flash

Ainda que não seja exatamente uma série sobre viagens no tempo, este é um tema recorrente em The Flash, e por isso a série do velocista escarlate merece a posição ½ da nossa listinha.

Devido à sua capacidade de correr a altíssimas velocidades, Barry Allen, um cientista forense que recebeu super-poderes após ser atingido por um raio durante a explosão de um acelerador de partículas, utiliza suas habilidades para salvar pessoas e fazer o bem. O lance é que, às vezes, Barry corre tão rápido que quebra a barreira do espaço-tempo e vai parar não apenas no passado ou futuro, mas até mesmo em outras dimensões.

Quando viajando no tempo, Barry precisa evitar ao máximo modificar toda e qualquer coisa sob o risco de mudar o futuro como o conhecia, mas isso não é exatamente uma tarefa fácil para alguém cuja vida muitas vezes é extremamente dramática: além do trauma de, quando criança, ter presenciado o assassinato de sua mãe pelas mãos de um velocista maléfico, por vezes Barry é testemunha da morte de seus amigos ou da vitória de seus inimigos — e aí “não voltar no tempo e mudar tudo” deixar de ser uma opção.

São justamente os episódios de viagem no tempo que muitas vezes se destacam durante a série, que recentemente chegou ao final de sua segunda temporada.

Colaborou: Rodrigo Estevam

Related posts

Especial de Natal do Doctor Who vai passar nos cinemas brasileiros

Thomas Schulze

O Silmarillion, do criador de O Senhor dos Anéis, pode estar nos planos da HBO para uma adaptação

Luiz Felipe Piorotti

Legends of Tomorrow encontram vampiros em novo episódio

Thomas Schulze