Image default
Críticas Games Últimos Destaques

The Elder Scrolls Online: Greymoor é um retorno mais que digno à Skyrim

The Elder Scrolls Online: Greymoor está finalmente entre nós! Após um ano recheado de novidades e dragões, The Elder Scrolls Online resolveu repetir a dose. Com o sucesso da narrativa contínua que o Year of the Dragon trouxe ao MMO da Bethesda em parceria com a Zenimax Studios, 2020 recebeu uma outra narrativa completa. Batizada de Dark Heart of Skyrim, a história que se desenrolará por um ano de atualizações começou com o DLC Harrowstorm em março e agora tem sua continuidade no capítulo completo Greymoor.


Veja também:


The Elder Scrolls Online: Greymoor é um capítulo de expansão completo e inteiramente novo. Nele, temos acesso a dois novos mapas interligados incríveis, sendo um deles a região no oeste de Skyrim, com a saudosa (e milenar) cidade de Solitude como centro da narrativa. Com um conteúdo de primeira, mapas sensacionais e muita aventura, Greymoor tem uma responsabilidade importantíssima de começar a trazer o território do título mais popular da franquia finalmente para o RPG online.

Um novo começo bem mais gelado

The Elder Scrolls Online: Greymoor nos apresenta uma nova missão tutorial inédita pela frente. Assim como ocorreu com Summerset e Elsweyr, o novo capítulo possui uma introdução totalmente ambientada em sua narrativa. Nela, somos feitos prisioneiros enquanto rumamos para Skyrim no melhor estilo The Elder Scrolls V. Junto conosco está um elfo vampiro que precisa fugir de uma ceita maligna e nos vê como bons aliados.

No decorrer do processo de aprendizado das mecânicas básicas do jogo e aquisição dos primeiros itens da aventura, enfrentamos algumas das criaturas que mais veremos em Western Skyrim: vampiros, mortos-vivos e espectros de gelo. Mas nosso tropeço nessa história curiosa não para por aí, pois não muito depois acabamos envolvidos diretamente com a realeza da região.

LOJA PLAYREPLAY

O destaque do tutorial com certeza fica para a ambientação. O retorno aos mapas gelados de Skyrim é visto já nos primeiros minutos de jogatina, onde precisamos fugir de um acentamento de vampiros. A região de neve é belíssima e bastante detalhada, sendo este mapa apenas um preview do que está por vir em toda a região batizada de Western Skyrim.

O tão esperado retorno ao “lar”

The Elder Scrolls Online se sustentou muito bem desde o seu lançamento com mapas que fugiam bastante de Skyrim. Parte disso justamente para atrair de volta antigos fãs da franquia The Elder Scrolls (trazendo mapas de jogos anteriores como Summerset, Morrowind e Cyrondiil). Entretanto, é inegável o boom de popularidade que a franquia obteve com o inquestionável sucesso de The Elder Scrolls V: Skyrim. Desse modo, retornar aos mapas do jogo no RPG online era algo muito aguardado pelos fãs.

Trazer parte deste mapa, e não ele por completo, foi algo muito acertado. Isso porque podemos retornar aos poucos às terras geladas que tanto conquistaram jogadores desde 2011. Western Skyrim é uma região incrivelmente detalhada que possui como ponto de referência central a cidade de Solitude. A região já é amplamente conhecida por jogadores de Skyrim, mas aqui temos mudanças muito bem-vindas.

Os próprios desenvolvedores da Zenimax afirmaram que o conteúdo dos mapas de Greymoor são maiores do que o mapa de The Elder Scrolls V inteiro. Comecei a jogar com uma leve desconfiança quanto a isso, mas sem dúvidas estavam certos. O mapa é imenso! E, assim como o desenvolvimento de mundos virtuais evoluiu bastante na última década, a construção do Oeste de Skyrim sofreu influências muito grandes dessa nova forma de fazer ambientação.

Com isso temos um mapa muito mais rico em conteúdo, cheio de níveis, detalhes e elementos escondidos. As missões secundárias e conteúdos desbloqueáveis estão muito bem espalhados pela região. Além disso, assim como o MMO já provou com os pântanos de Murkmire e com os desertos de Elsweyr, é possível fazer uma paisagem variada, bela e bem construída em ambientes mais inósptos. E este também foi o caso nas geladas terras do norte: Skyrim está belíssima e cheia de vida. Você com certeza não vai enjoar de ver “branco” na sua tela.

Lore cheia de intrigas e mistérios

Para os amantes da história de The Elder Scrolls Online, temos em Greymoor alguns pontos muito positivos. O enredo de cerca de 20 horas da história principal é recehado de reviravoltas e surpresas. Durante a progressão dessa história, cheamos a ter acesso a um reino escondido lendário dos vampiros, que há muito era citado em The Elder Scrolls mas jamais vislumbrado. Além disso, novos personagens muitos carismáticos e interessantes estão presentes na nova campanha.

Para além da missão principal, as missões secundárias são igualmente interessantes. Na maioria das vezes complementando a narrativa principal, temos acesso a detalhes ainda mais enriquecedores acerca de Skyrim. São diversos locais para explorar, missões escondidas, conteúdos desbloqueáveis e itens colecionáveis.

Um destaque pessoal fica para a missão localizada no extremo leste do mapa, onde encontramos um navio encalhado no gelo que precisa de ajuda. Ali temos contato com ursos polares, uma maldição de gelo e navegantes perdidos bem longe de suas terras. A criatividade e contextualização incríveis de The Elder Scrolls Online: Greymoor são sentidos a cada novo vilarejo no qual chegamos. E os itens liberados através das missões e os cosméticos da loja de cash melhoram ainda mais essa imersão nas terras nórdicas.

Mecânicas bem estruturadas com a narrativa

Outro ponto alto de The Elder Scrolls Online: Greymoor são suas mecânicas de jogo. O capítulo apresenta muitas adaptações de lógicas presentes no mundo de Skyrim que nos foi apresentado em 2011. Entretanto, essas adaptações muitas vezes estão presentes em detalhes que podem passar despercebidos pelos mais ávidos pelo leveling e que acabam sendo muito úteis.

Os acampamentos de gigantes, uma característica muito presente no mapa de Skyrim, está presente em Greymoor de uma forma bem interessante. Para fomentar o embate com esses gigantes, eles fazem parte dos colecionáveis do mapa e seus estoques de gordura podem prover uma quantidade considerável de pontos de experiência quando consumidos.

Além disso também temos a introdução do novo sistema de relíqueas em The Elder Scrolls Online: Greymoor. A ideia é simular uma profissão de arqueólogo que se extende para além de Skyrim. Temos a oportunidade de encontrar relíqueas em dungeons, cavernas e outras localidades do mundo inteiro de Tamriel, provendo diversos itens muito úteis ou, pelo menos, cosméticos interessantes.

Infelizmente, temos também um ponto negativo quanto às mecânicas de jogo. Não encontramos masmorras com puzzles tão criativos em Western Skyrim quanto em outras localidades de Tamriel apresentadas anteriormente (como Elsweyr e Murkmire). Entretanto, mesmo sem essa criatividade tão icônica em puzzles, ainda temos um design de masmorras incrível e muito bem detalhado, que encontra seu auge no mundo subterrâneo de Blackreach.

Blackreach: uma das maiores cavernas do jogo

Chamar Blackreach de “caverna” como se ela fosse só mais uma localidade subterrânea de Tamriel chega até a ser um ultraje. Blackreach é literalmente um reino inteiro no subterrâneo. Com áreas distintas, biomas, vilarejos e um castelo inteiro. A lendária caverna vampiresca surpreende e tira o fôlego desde o primeiro momento no qual é vislumbrada durante o jogo. Se o mapa da superfície de Skyrim do Oeste pode parecer pequeno, Blackreach em contrapartida nos dá um território de grandeza incrível.

Mas toda essa grandeza não está ali somente para ser vislumbrada. São várias as missões secundárias localizadas no mapa, além de uma boa parte da campanha principal de The Elder Scrolls Online: Greymoor. Ao todo temos cerca de 7 subregiões neste mundo subterrâneo, todos com suas particularidades e biomas distintos. Desde florestas de fungos a ruínas de anões; passando por templos de vampiros e rios de lava, a variedade de localidades aqui surpreende.

The Elder Scrolls Online: Greymoor é um retorno no tom certo à Skyrim

Com toda a história dos dragões de Tamriel se passando em Elsweyr, voltar com o principal tema de The Elder Scrolls V com Greymoor poderia soar repetitivo. Mesmo assim, a Bethesda e Zenimax foram bem corajosas de trazerem Skyrim sem qualquer menção a Dragonborns ou dragões, deixando claro que as terras geladas são muito mais do que isso.

The Elder Scrolls Online: Greymoor é um retorno digno à Skyrim e traz acontecimentos bem marcantes. Pode não ser tão épico ou catastrófico do que Elsweyr  à primeira vista, mas deixa um gostinho de curiosidade bem acentuado acerca do impacto dos acontecimentos dessa campanha para o restante do reino de Skyrim.

Nos resta agora curtir ao máximo tudo que o novo território de ESO nos traz, enquanto esperamos a evolução da narrativa Dark Heart of Skyrim no decorrer de 2020. The Elder Scrolls Online: Greymoor já está disponível para PC através do site oficial do jogo e pela Steam, além de marcar presença também no PlayStation 4 e no Xbox One.

Related posts

Overwatch | Jogo estará gratuito neste fim de semana

Luciana Anselmo

Fortnite | Como completar todos os desafios da Missão Descolada x Chique

Rodrigo Estevam

Apex Legends | Respawn anuncia lançamento da Temporada 2

Rodrigo Estevam