Image default
Anime Críticas

Shokugeki no Soma | A terceira temporada foi uma delícia!

Shokugeki no Soma sempre vai ter um lugar especial no meu coração, já que foi o primeiro anime que eu assisti em simulcast desde o comecinho na Crunchyroll. A inusitada mistura de ação shonen com comédia ecchi deu um caldo muito bom, e várias vezes me peguei rindo, vibrando e me emocionando com suas batalhas de culinária.


Veja também:


Este review também está disponível em vídeo no nosso canal parceiro Aquele Cara, então clique no player aqui em cima caso você tenha preguiça de ler (está tudo bem, não vamos contar para ninguém)

Acho as duas primeiras temporadas da série quase perfeitas, então meu hype estava nas alturas para o ano 3. Em outubro de 2017 a espera chegou ao fim, e a JC Staff começou a botar no ar a primeira leva de novos episódios. Muita gente ficou confusa com essa divisão, já que os outros 12 episódios só chegaram para concluir a trama na temporada de abril de 2018, mas todos eles são parte da a mesma temporada, a “San no Sara”, ou “Terceiro Prato”.

Um conto de duas temporadas

As duas metades têm arcos bem distintos em temas, ritmo e, na minha opinião, também em qualidade. Logo de cara,achei que o traço e fluidez de movimentos do anime deram uma pequena piorada em relação aos anos anteriores, mas a diferença é tão pequena que logo me acostumei. O maior problema foi mesmo a forma como os primeiros episódios apresentaram e exploraram a Elite dos Dez, os principais rivais da temporada.

LOJA PLAYREPLAY

As dez cadeiras surgem na trama para prestigiar e participar do tradicional Festival do Banquete da Lua, e Soma encontra ali a oportunidade perfeita para tentar abocanhar uma vaga entre a elite da escola. Seu primeiro alvo de desafio é Kuga, um especialista em culinária chinesa, que só toparia um Shokugeki caso o estande de Soma no festival conseguisse superá-lo em vendas.

Kuga é um dos poucos da Elite dos Dez bem desenvolvidos
Kuga é um dos poucos da Elite dos Dez bem desenvolvidos

Foi uma ideia bem legal para começar a ação, mas achei a sua execução e conclusão meio corridas. Elas só não foram mais aceleradas que a introdução do resto da Elite dos Dez. Pô, mesmo agora, 24 episódios depois, eu não saberia citar de cor nem os nomes e nem os rostos de cada um dos estudantes que ocupam esses cargos de prestígio, já que a maioria deles entraram mudos e saíram calados!

Não ajuda que, pouco depois de sua apresentação, o foco tenha sido redirecionado para Azami, o pai da Erina que, através de um grande acordo nacional com o supremo, com a elite da culinária, com tudo, tomou o poder da Escola e começou seu próprio reinado de terror. Essa trama impacta de forma bem pesada todo a mitologia da série e, novamente, foi feita de forma meio corrida e tosca.

De repente já somos jogados em um arco super dramático e relevante com o avô da Erina pedindo que o Soma ajude sua neta a enfrentar o pai abusivo e, de quebra, que ele e seus amigos salvem a escola do reinado opressor de Azami. Sem pressão! Por sorte, após esse começo bem corrido, a segunda metade da temporada volta ao padrão de qualidade que eu tanto gostava, e o ritmo fica bem mais cadenciado, com rivais e missões claras.

Abaixo a Central!

Azami pretende padronizar a culinária da escola e, pra isso, exige que todo mundo siga as receitas da Central. Quem discorda de seus métodos é rotulado como rebelde, um delito punível com expulsão. Então chega aquela abertura super maneira do segundo arco, com o trem da Tootsuki. Que delícia de opening!

Ao mesmo tempo em que o pessoal do dormitório Kyokusei se une para estudar com a Erina (agora aliada da turma), finalmente o seu relacionamento com o Soma começa a ser melhor desenvolvido. Aleluia! Achei que a dinâmica dos dois foi feita de forma bem sutil e engraçada, e isso deixou meu ship pela dupla mais forte do que nunca!

Sem entrar em maiores spoilers, é a partir daí que chegam meus duelos favoritos de toda a série. Como o nível de todos os alunos está mais alto, e os riscos também subiram graças ao risco de expulsão e à luta contra a Central de Azami, cada batalha me deixou na ponta da cadeira. O auge foi a aguardadíssima revanche contra o Hayama, mas as outras lutas não ficaram muito para trás não.

Espero que a temporada 4 traga mais da Rindou Senpai
Espero que a temporada 4 traga mais da Rindou Senpai

Por mais que a maioria dos membros da Elite dos Dez continue não sendo tão bem trabalhada quanto deveria, aos poucos os personagens ganharam espaço, e tudo pareceu mais natural. Já perto da reta final, a Nene e o Satoshi tiveram seu passado muito bem explorado, e eu espero que uma eventual quarta temporada traga o mesmo nível de backstory para as atuais e antigas cadeiras da Elite. Especialmente a minha best girl Rindou Senpai, que sempre rouba a cena quando aparece, mas até agora não teve a chance de lutar para valer.

Próxima parada, quarta temporada…

Como eu não li os mangás, apenas sigo na torcida e expectativa para que ela mande bem demais e seja um verdadeiro demônio da culinária. Ah, e falando nisso, não dá pra deixar de mencionar o episódio que trouxe a aguardada backstory do Jouichirou, o pai do Soma. Na minha opinião, esse foi o melhor episódio de toda a série até agora, porque não apenas tapou vários buracos da narrativa, como ressignificou a importância do Soma como protagonista, fazendo uma ponte perfeita entre o passado e o presente.

Tomara que o trem dos rebeldes chegue com segurança ao quarto ano do anime
Tomara que o trem dos rebeldes chegue com segurança ao quarto ano do anime

Também é ali que aprendemos sobre o Time de Shokugeki, uma modalidade bem empolgante de duelo contra vários rivais de uma vez, e justamente o sistema de confronto que norteia a luta entre a Central de Azami e os Rebeldes da Kyokusei. O pouco que foi mostrado dessa luta foi muito, muito irado, e eu já estou com gostinho de quero mais. Afinal, como aconteceu no final do primeiro ano, com os duelos das Eleições de Outono, novamente a temporada terminou bem no meio de um grande duelo, então só nos resta ler os mangás ou ficar um tempão teorizando sobre o que vai acontecer a seguir.

Parece que ainda não foram lançados mangás suficientes no Japão para servir de base para uma nova temporada completa, então provavelmente teremos que esperar mais de um ano até que a JC Staff nos sirva mais um prato de Shokugeki no Soma. Bom, desde que o novo material mantenha o nível do ano 3, acho que um novo orgasmo culinário está mais do que garantido!

Shokugeki no Soma Temporada 3
9 Nota
10 Leitores (1 Nota)
Prós
  • Revelações bombásticas
  • Batalhas emocionantes
  • Muito engraçado
Contras
  • Ritmo instável
  • Animação um pouco
    mais pobre
Avaliação
Shokugeki no Soma San no Sara cumpre com louvor a sua missão de trazer batalhas empolgantes, personagens interessantes, momentos de comédia hilária e aquela pitadinha (quase sempre) saudável de ecchi. Apesar de um começo meio corrido, a segunda metade da temporada se encontra e consegue ter uma narrativa forte e até emocionante em alguns momentos, com alguns dos melhores episódios do anime até agora.
O que as pessoas acharam... Deixe a sua avaliação!
Sort by:

Be the first to leave a review.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Deixe a sua avaliação!

Related posts

Fortnite Battle Royale | Veja o terceiro teaser da Temporada 7

Rodrigo Estevam

Two Car acelera para a temporada de outubro em primeiro trailer

Thomas Schulze

Fortnite: Temporada 3 chega Tirando Onda

Rodrigo Estevam