fbpx
Image default
Críticas Games

Crítica: The Ninja Saviors: Return of the Warriors chega aos consoles com esplendor

The Ninja Saviors é um clássico lançado para Arcade em 1987 e posteriormente sendo portado para Super Nintendo em 1994.

The Ninja Saviors: Return of the Warriors é um remake desse side-scrolling e, como era padrão dos jogos antigos, esse game não está para brincadeira.

O jogo vai requerer muitas horas de dedicação porque a aventura não é brincadeira!

A tirania começa

Para começar, no ano de 1993, Banglar, o presidente dos Estados Unidos, aciona uma lei marcial fazendo com que os militares controlem tudo no país. A população acaba se anestesiando, como se houvesse uma lavagem cerebral e vivem em tal condição até que cientistas rebeldes tentam de tudo para lutar contra essa tirania, criando três robôs ninjas com um único objetivo: acabar com Banglar e o seu reinado de terror.

Os robôs são nomeados como Ninja, o grandão com nunchako; Kunoichi, a ninja equilibrada com suas facas; e Kamaitachi, que apesar de rápido, é mais fraco e utiliza suas correntes com lâminas. Cada personagem tem uma jogabilidade diferente, permitindo novos combos, habilidades diferentes e até mesmo estratégias alternativas para avançar no jogo.

Mais difícil do que parece…

Para começo de conversa, o game começa bem simples, com aquele clássico estilo de side-scrolling beat’em’up, dando porrada em quem vier pela frente. Até chegar o primeiro chefe, que é duro na queda, e é ai que o jogo começa a mostrar suas verdadeiras cores.

Os inimigos de campo são bem simples, na verdade. A maioria deles cai com um soco ou com um combo, o problema real é a quantidade em que eles vem para te encher de porrada. A dificuldade começa quando os inimigos com armas de fogo aparecem no cenário, então corra para eliminá-los antes dos outros.

Já os chefes são bem complicadinhos, cada um tem uma sequência de golpes e métodos diferentes de como derrotá-los. Por exemplo, o primeiro é bem básico, sendo defesa e ataque nos momentos certos. Lá pra frente, você já encontra um chefe que fica invisível ou até mesmo que teleporta.

A dificuldade escala bem mas, com prática, você consegue dominar cada um dos adversários. Porém, tenho que ser sincero: o último chefe foi o único que não consegui derrotar, pois a estratégia é jogar os inimigos em cima dele, o que é um pouco complicado com todos os ataques vindo de vários lugares diferentes.

Vale a pena lembrar que, por questão da programação do jogo, você pode tirar vantagem contra os inúmeros inimigos da tela. Por exemplo, ao agarrar e arremessar um inimigo ou objeto, seu personagem fica invencível por um período durante a animação, ou até mesmo no fim do combo de um ataque. Quando isso acontece, qualquer golpe inimigo passa direto por você.

Uma coisa que me incomodou durante a jogatina foi ver que, mesmo sendo robôs ninjas, os heróis são mais lerdos que os inimigos. Não existe a possibilidade de correr, salvo quando joga com Ninja que, já que ele não pula, o botão de pulo vira um dash. Então, nada de dar dois toques para uma direção e fazer seu personagem correr.

Em compensação, existe uma variedade enorme nos ataques que cada um pode realizar. Além da sequência de golpes parado, você pode fazer ela agachado, e também existe uma habilidade que todos possuem: a bomba. Ela destrói a maioria dos inimigos de uma só vez e, como a explosão pega a tela inteira, é muito boa para controlar a multidão. Para poder utilizar esse golpe especial você precisa carregar a barra que fica abaixo da tela, mas ela não serve só para isso. Ao segurar o direcional para cima, você pode gastar um pouco da barra para usar o golpe especial.

Uma última coisa e um pequeno detalhe que não torna o jogo mais difícil (brincadeira, torna sim), é que ao jogar, você conta apenas com uma vida e, tomar muita porrada e ainda assim, passar de fase, você recupera uma fração dela para o próximo estágio.

… e mais bonito do que aparenta

Por ser um grande clássico da década de 90, The Ninja Saviors: Return of the Warriors decidiu ficar com o estilo de 16-bits, e faz isso de uma forma magnífica, com belas animações, e cenários. Além da trilha sonora que acompanha a adrenalina de hordas e hordas de inimigos enfrentados no caminho. Se você é um fã do estilo retro, com certeza vai amar jogar esse jogo.

Por mais que existam apenas 7 cenários, o game traz grandes desafios para o jogador. E se estiver passando por dificuldades, existe a possibilidade de jogar um co-op com um amigo no sofá ou online. Acredito que, depois de fechar o game, é capaz de liberar mais dois novos personagens. Eles estão no manual do jogo, mas não são jogáveis logo de cara.

The Ninja Saviors: Return of the Warriors é um excelente jogo, apresenta uma dificuldade ótima para desafiar o jogador, co-op com os amigos e, apesar de ser um jogo rápido, vai render muita diversão para você e seus amigos!

Related posts

Pise fundo com o remaster de Full Throttle

Thomas Schulze

Detroit: Become Human | Título conta com 1,5 milhão de jogadores

Luciana Anselmo

Sony divulga jogos gratuitos da PS Plus de fevereiro

Luciana Anselmo

Deixe um comentário