Image default
Críticas Games

Sword Legacy: Omen é o RPG tático que você precisa ter na sua biblioteca

Todo bom fã de RPG conhece seu subgênero tático, com grandes títulos como Final Fantasy Tactics, lançado originalmente no PSOne; e The Banner Saga, a trilogia indie que ganhou merecidamente seu espaço no mundo dos games. Está na hora de conhecer mais um game que, com certeza, vai chamar a sua atenção. Estamos falando de Sword Legacy: Omen, o RPG tático que tem que estar na sua coleção!

Lançado em setembro de 2018, para PC, Sword Legacy: Omen conta a história de Uther Pendragon, o grão-cavaleiro do reino de Mércia e pai do famoso Rei Arthur, lendário herói da távola redonda. Porém, diferente da época de seu filho, a Britania está numa época das trevas.


Veja também:


Antes da era de ouro

A narração do jogo fica por conta do poderoso Merlin, que conta os acontecimentos que tomam parte da história antes mesmo do nascimento do Rei Arthur. Merlin chega ao reino para contar a Uther sobre sua visão, na qual o reino caía e tinha início uma época das trevas. Porém, antes mesmo de Merlin terminar de contar o que previu, uma explosão ocorre no muro do reino e cavaleiros de armaduras negras invadem o castelo.

Os heróis conseguem chegar ao rei para garantir sua proteção, mas já era tarde: a princesa havia sido raptada e o Lorde de Mércia, Leof, estava morto. Ainda cercados por inimigos, Merlin e Uther fogem para garantir que saiam com vida do ataque e reúnam todas as forças possíveis para resgatar a princesa Igraine e acabar com o vilão que eles descobrem ser o lorde do reino de Wessex, o rei Gorlois.

Merlin e Uther ao chegarem na sala do trono

Os heróis de outrora

O jogo conta com oito personagens principais que decidirão o futuro da Britania como um todo. Cada um deles possui habilidades e especialidades únicas, fazendo com que cada membro seja importante durante todo o jogo. Por exemplo, Gwen, a ladra sorrateira, pode destravar qualquer cadeado em seu caminho; já Goor, o último membro da equipe e o ferreiro valente, pode desativar as armadilhas encontradas na fase.

Isso são apenas habilidades que eles podem utilizar fora de combate. Durante as batalhas, cada personagem também tem sua particularidade. Merlin, por ser um mago, possui magias como bola de fogo, teleporte, entre outras; enquanto Uther, por ser um cavaleiro de espada e escudo, tem habilidades que giram em torno de aumentar a defesa ou até mesmo defender os aliados, fazendo a função de tank.

Cada personagem começa com uma base de equipamento básica de dois dos quatro itens que são possíveis equipar. Em Sword Legacy: Omen existe um tipo de arma para cada personagem, ou seja, o mago Merlin não é um Gandalf da vida que utiliza cajado e espada.

Os equipamentos são os itens que definem o status do seu personagem, modificando pontos de vida, pontos de ação, força, defesa, e por aí vai. Dois dos slots de equipamentos devem ser preenchidos com um tipo de arma e uma armadura obrigatórias. Os outros dois espaços podem ser usados para equipar escudos, anéis, capas… enfim, qualquer item que não se encaixe nos dois primeiros espaços. Dessa forma, é possível equipar Merlin com itens de defesa alta, fazendo o mago se equiparar com Uther.

Merlin fazendo umas comprinhas com o ferreiro!

Recuperando Britania

Antes de se aventurar pelas fases e desafios que Sword Legacy: Omen proporciona, você precisa se preparar. Além dos equipamentos, que podem ser adquiridos em baús trancados nas fases, ou até mesmo com o ferreiro nas cidades que passa, é necessário evoluir as habilidades dos personagens, definir qual utilizará e assim, montar sua equipe de até quatro membros.

As habilidades têm um papel fundamental para garantir a vitória da sua equipe contra os inúmeros inimigos no caminho. Habilidades são liberadas com a utilização de pontos de renome, que você ganha cumprindo certas atividades durante a sua aventura, como executar um inimigo com golpe crítico, matar mais de um inimigo de uma vez ou completar as fases.

Com os pontos acumulados, você deve gastá-los para adquirir as suas habilidades conforme a build que você deseja para seu personagem. Elas variam entre skills passivas ou ativas e, como os pontos não podem ser resetados, confira todas elas com cautela para poder fazer a melhor combinação para cada personagem da sua equipe.

Gwen flanqueando o inimigo

Com seu time equipado e preparado, é hora de se aventurar. Como disse anteriormente, apenas quatro membros entram na aventura, e esse pode ser um dos pontos fracos do jogo. Como, por exemplo, Gwen é a única personagem com habilidade de destravar baús e portas que levam para salas que te ajudarão muito na aventura, isso a torna um personagem que você não quer fora da sua equipe. Ou até mesmo Felix, o sarcedote devoto, sendo o único curandeiro do jogo, para aqueles que gostam de jogar de modo mais seguro, isso faz com que dois espaços estejam sempre preenchidos.

Decidida a equipe, você entra no modo de exploração, no qual controla um dos personagens da equipe e vai avançando no mapa. É aqui que você pode encontrar os baús ou segredos que revelam mais sobre a história do jogo. Isso até você entrar em uma batalha.

As batalhas lembram bem o esquema de luta do jogo The Banner Saga. Diferente de definir a movimentação por ação, como acontece em RPGs táticos normalmente, você deve escolher como vai gastar os pontos de ação de cada personagem na batalha.

Vamos simular que Uther tem sete pontos de ação. Para alcançar um inimigo e realizar um ataque, ele precisa movimentar quatro espaços, gastando assim um ponto de ação por bloco andado. Chegando no inimigo, gasta mais três pontos para realizar o ataque, finalizando assim seus pontos de ação e o turno de Uther. Você realiza ações desse tipo com os 4 personagens, finalizando o turno dos heróis e, em seguida vem o dos inimigos. E a história se repete até que um dos lados caia.

Uther não brinca em serviço mesmo

A apresentação dessa jogabilidade ocorre de forma bem didática e fácil de se adaptar. Mesmo que você não entenda os detalhes dela logo de cara, não demora muito para dominar bem os truques que Sword Legacy: Omen oferece em seus campos de batalha. O maior desafio é evitar perder os personagens e otimizar as lutas da melhor forma possível. E não se preocupe caso um herói seja derrotado, ele ficará inativo para a próxima batalha, com o status “ferido”, podendo ser utilizado em batalhas futuras.

O fim da era das trevas

Com certeza, Sword Legacy: Omen é um jogo que você precisa e deve conhecer, sendo grande fã de RPG tático ou das histórias que acercam Rei Arthur e seus grandes feitos com a Távola Redonda.

Isso me soa familiar …

Ele pode não ser o jogo perfeito, mas possui uma história que te prende do começo ao fim, com personagens com características e personalidades únicas, dando mais profundidade à história e na dimensão de jogabilidade dentro do jogo.

[rwp-review id=”0″]

Related posts

PUBG | Jogo terá arena free-to-play de 500m² na Brasil Game Show

Rodrigo Estevam

Resident Evil 2 | Confira os requisitos para rodar o game no PC

Luciana Anselmo

Nova expansão de World of Warcraft está disponível na pré-venda

Luciana Anselmo