Image default
Críticas Games

NBA 2K18 é um daqueles casos de amor e ódio

NBA 2k18 chegou aos consoles este mês com a promessa de ser uma das melhores experiências já proporcionadas por um videogame de basquete. Seu grande trunfo, o MyCarreer, permite a você não só começar sua carreira de jogador de basquete na NBA do zero, como também te dá a opção de praticamente “entrar” no jogo com a sensacional captura facial nas versões do jogo para PS4, Xbox One e PC (infelizmente a turma do Switch ficou de fora dessa).

Veja também:

Assista também a nossa análise em vídeo da versão do game para Nintendo Switch

O jogo de basquete definitivo (em diversos aspectos)

Quando adolescente joguei basquete no time da escola. Por ser baixinho para o padrão de jogadores de basquete, mas bastante ágil e de pensamento rápido, logo me encontrei jogando como armador. Não era titular, mas jogava em toda partida, e isso me deixava feliz pra caramba. Não me considero um grande fã de esportes, mas se tem um que até hoje me chama atenção é justamente o basquete. Até por isso vinha “namorando” NBA 2k18 na loja do Xbox One há tempos.

Quando finalmente tive acesso ao jogo fiquei bastante feliz com o que vi. Iniciei uma partida solo rápida, selecionei o Los Angeles Lakers (meu time favorito desde os tempos de NBA Hang Time, no saudoso Nintendo 64) e, para minha surpresa, mesmo este sendo meu primeiro jogo da série e sem jogar o tutorial, consegui uma vitória — ainda que bastante apertada. Fiquei ainda mais empolgado para testar o jogo por completo.

Animadíssimo, criei meu personagem para o modo carreira usando o aplicativo acompanhante para capturar meu rosto, assisti à introdução do MyCarreer e joguei as primeiras partidas na dificuldade Rookie (a mais fácil, ideal pra mim que era realmente um iniciante no jogo) e adorei. Achei que não conseguiria mais parar, mas me esforcei e parei. Caso contrário, provavelmente não pararia de jogar tão cedo e esqueceria dos demais modos de NBA 2k18.

Sabendo que o MyCarreer seria o modo de jogo em que eu mais dedicaria meu tempo, resolvi passear um pouco pelos demais modos. Comecei uma campanha no MyLeague , joguei até o final (simulando algumas partidas pra acelerar um pouco a coisa toda) e me surpreendi com o quão divertido era gerenciar meu próprio time durante toda uma temporada da NBA. Eu estava apaixonado por NBA 2K18.

Estava.

 

Precisamos falar sobre VC no modo carreira

Sem dúvida alguma, NBA 2K18 é um ótimo simulador de basquete nos modos MyTeam, MyLeague e nos jogos normais de partidas rápidas. O jogo só sofre mesmo, de verdade, no seu carro-chefe, o modo MyCarreer.

Dá pra entender que a 2K precise de muito dinheiro para manter um jogo como NBA 2K18. São 30 times da NBA, com todos os jogadores disponíveis, conta ainda com a presença de diversos jogadores que fizeram história na liga norte-americana de basquete, e muito mais. Você precisa mesmo de uma grana absurda para bancar esse tipo de coisa.

O que não dá pra entender é um jogo que custa, em sua versão mais básica, uns R$ 200, depender tanto de microtransações. Os jogos de esportes da 2K são extremamente populares, existem fãs da NBA no mundo todo e sem dúvidas a versão atual do NBA da 2k deve ter vendido horrores no mundo todo — tendo vendido, inclusive, versões “melhoradas” do jogo, contando com boas quantias de moedas virtuais para dar uma certa vantagem a quem optar pelas versões mais caras do jogo.

O que não dá pra entender é um jogo caro como esse, repleto de logomarcas e marketing direto e indireto (o bom e velho product placement) de diversas empresas e produtos, ainda assim tentar forçar o jogador a gastar rios de dinheiro com moedas virtuais. Afinal, tudo no modo carreira depende de moedas virtuais, desde o aprimoramento do desempenho do seu personagem até mudanças cosméticas pra personalizar o visual do seu jogador.

Algo que me deixou ainda mais irritado com o MyCarreer foi a impossibilidade de curtir a carreira na dificuldade Rookie, a mais baixa de todas, após o lançamento dos patches de correção do jogo. É quase impossível mandar bem em qualquer jogo quando a menor dificuldade disponível é a “Pro” e você está controlando DJ, um jogador novo e com poucos pontos de experiência. Some a isso a dificuldade de aprimorar seu personagem por conta do desequilíbrio do uso de VC no jogo e pronto, você tem uma experiência bastante frustrante no modo que, ao menos em teoria, deveria ser o mais divertido de NBA 2K18.

 

Patches seletivos?

Outro ponto negativo da minha experiência com NBA 2k18 até o momento foi em relação aos patches de correção lançados até o momento. Enquanto o patch 1.01 veio para felizmente corrigir um problema que levava os jogadores a perderem o progresso do modo carreira (eu perdi o meu progresso duas vezes até receber o patch de correção), resolvendo um problema seríssimo, os outros dois lançados até o momento praticamente não se justificaram.

O patch 1.02 chegou dando uma voadora nos preços dos cortes de cabelo, suavizando um pouco todo o problema da personalização do seu jogador, mas outros preços de outros itens permaneceram altíssimos. E mais: esse foi o patch que tornou impossível jogar NBA 2K18 na dificuldade Rookie. Assim, o desempenho de milhares de jogadores ao redor do mundo vem sendo impactado pela impossibilidade de realizar boas partidas porque, além da dificuldade elevada, outros problemas como a aparentemente quebrada barra de arremesso (que te leva a errar arremessos, enterradas e bandejas mesmo quando você realiza os comandos na ordem e tempo certos, diferente da barrinha semelhante presente em NBA Live 18, da concorrente EA Sports) simplesmente parecem ser ignorados pelos profissionais da 2K.

O patch 1.03, que poderia corrigir esse problema, veio para, pasmem, corrigir glitches que permitiam aos jogadores conseguir um pouco de dinheiro mais rápido no jogo, tornando tudo um pouco mais divertido e o modo carreira muito menos arrastado. Foram-se os glitches, ficaram os problemas de arremesso e desbalanceamento dos preços em relação ao VC acumulável por partida.

É perfeitamente possível entender a intenção da 2K de corrigir glitches porque eles são, bem, glitches. São erros e erros precisam ser corrigidos. Mas tem tanto erro pior rolando no jogo, tanta coisa pra melhorar (pelamor, permitam que pulemos as cenas de corte!! A trama do modo carreira é chata, me deixem jogar sem precisar ver todos aqueles personagens com os quais eu não me importo falando e fazendo coisas que eu me importo menos ainda!) e tudo com o que se preocupam é em corrigir os problemas relacionados ao acesso um pouco mais rápido a moedas de jogo? Sério?

 

Ainda assim, um bom jogo

Como disse anteriormente, NBA 2K18 é um jogo bacana sim. É um ótimo simulador de jogos de basquete, principalmente se você ignorar completamente o modo carreira e curtir o modo Liga, por exemplo, ou partidas multiplayer local ou online.

O jogo em si é ótimo, tem boas mecânicas e ótima jogabilidade — embora aquela barrinha de arremesso precise de um conserto urgente —, pecando somente no que diz respeito ao uso excessivo de VC para toda e qualquer coisa no modo carreira. Não fosse isso, o jogo seria praticamente perfeito. (Sério, se não fosse necessário pagar milhares de VC pra fazer qualquer coisa eu ficaria mais do que satisfeito mesmo com a trama meia-boca do MyCarreer!)

Como a 2K está atenta ao feedback da comunidade (visto que basta descobrirem um glitch para que um patch seja lançado), ainda há esperanças de que correções sejam lançadas e o jogo se torne cada vez melhor. O modo carreira tem boas ideias, como o hub social (The Neighborhood) agrupando diversos jogadores online, possibilitando partidas rápidas de basquete de rua; a utilização de escaneamento facial rápido e prático com o uso de um app de celular (não necessitando o uso de Kinect ou PS Câmera), permitindo maior imersão no jogo; e a distribuição de pontos de habilidades no melhor estilo RPG, permitindo melhorar o personagem nos aspectos que melhor combinam com seu estilo de jogo, são exemplos de coisas legais presentes no jogo. (Ainda que algumas um pouco mal implementadas)

No geral, NBA 2K18 não é nem de longe um desperdício de dinheiro. Tirando o desastroso MyCarreer, que poderia ser muito mais do que atualmente é, o mais recente NBA da 2k é um jogo muito bacana — tanto que é o título que mais tenho jogado no meu Xbox ultimamente. Então, veja bem, você vai jogar e vai gostar, principalmente se for fã de basquete e passar bem longe do modo carreira. Agora, se o que mais te atraiu no jogo até agora foi o MyCarreer, recomendo uma boa dose de paciência. Afinal, além de ter que sofrer pra aprimorar o desempenho do seu personagem e jogar na dificuldade Pro por padrão, você ainda vai ter que aguentar as aventuras de DJ e sua turma nos bastidores dos jogos… e isso não é nem um pouco divertido.

 

NBA 2K18 – Nota: 3/5

Produtora: 2K Games
Plataformas: PS4, Xbox One, PC e Nintendo Switch
Plataforma utilizada na análise: Xbox One
Produto cedido para análise: Sim

Related posts

Sea of Thieves | Guia do iniciante para começar bem a caçar tesouros

Luciana Anselmo

Fortnite Battle Royale | Onde visitar diferentes relógios

Rodrigo Estevam

Battlefield 1 | Já está disponível Battlefield 1 Apocalypse

Thomas Schulze