Image default
Críticas Games

Mega Man Legacy Collection traz o melhor do robôzinho azul ao Switch

Mega Man é uma das franquias mais populares do mundo, tem inúmeros jogos e já esteve presente em diversas plataformas ao longo dos anos, mas são seus primeiros games no Nintendinho que ainda cativam e conquistam novos fãs com sua dificuldade e ótimo level design. É por isso que não tinha como errar com Mega Man Legacy Collection, uma coletânea especial com os seis jogos originais da franquia que chegou nas lojas em 2015, mas que agora também faz sua grande estreia no Nintendo Switch.


Veja também:


Dá até para dizer que o nosso querido robôzinho azul está voltando para a sua primeira casa, mas não é só isso que faz esta versão melhor que as outras. Com a coleção no Switch, você tem a opção de jogar os jogos na TV ou no modo portátil na hora que quiser e onde quiser.

Confira também a nossa análise em vídeo de Mega Man Legacy Collection 2, postada no canal parceiro Aquele Cara

Considerando o estilo desses primeiros jogos de Mega Man, que são desafiantes, mas também perfeitos para se jogar tanto em longas sessões como em curtos intervalos, você acaba tendo a maneira definitiva de experimentá-los de novo ou pela primeira vez.

Os jogos em si estão intactados e mais lindos que nuca, mas é possível personalizar praticamente tudo, como o formato da tela, controles, filtros, mudar para a versão japonesa e muito mais.

Também há diversos desafios que você pode jogar e desbloquear se realmente tiver as habilidades necessárias no jogos da franquia, o que aumenta bastante as horas que você pode gastar nessa coleção.

Além disso, esta versão conta com a opção de “Retroceder”, o que permite que volte alguns segundos no tempo caso tenha errado um pulo ou um tiro, por exemplo.

Isso até pode parecer ir contra a natureza brutal do game, mas na verdade só o torna mais acessível para aqueles que não querem passar horas memorizando padrões, acertar de primeira o lugar exato de cair antes de feixes de luz te matarem ou morrer porque o jogo teve um slowdown repentino.

Isso vale especialmente para certos pontos do primeiro jogo que eram propositalmente difíceis para alongar sua experiência em vez de só oferecer desafios. É boa maneira de trazer novos fãs para a franquia, o que não é nada mal se considerarmos que é isso que vai mantê-la viva nos próximos anos.

Este recurso não está disponível nas outras versões do Legacy Collection, o que adiciona mais um ponto positivo para quem está com dúvidas sobre em qual plataforma adquirir o jogo.

É claro que você não usar nenhuma dessas opções especiais para jogar os seis games do robôzinho, então ainda é possível aproveitar todos de forma legítima e da forma que você se lembra da época do NES.

Outro ponto que vale mencionar é que você pode jogar os títulos em qualquer ordem que quiser, não sendo necessário terminar os primeiros para desbloquear os últimos, por exemplo.

Ainda assim, foi ótimo jogá-los em sequência e perceber as pequenas e grandes melhorias que a Capcom foi fazendo no desenvolvimento de cada um.

No geral, a Capcom e a Digital Eclipse (responsável pelo port) fizeram um trabalho praticamente impecável nessa versão da coletânea, tanto no que se diz respeito aos jogos em si como com as novas opções e recursos.

Se você é fã do robôzinho ou sempre teve curiosidade em conhecer em jogos antigos, não há versão melhor que esta para aproveitar esses clássicos.

[rwp-review id=”0″]

Related posts

Resident Evil VII dando susto em marmanjo!

Guilherme Soares

Xbox | Veja o que vai chegar ao Game Pass nos próximos dias

Rodrigo Estevam

Capcom lança novo título de Mega Man exclusivo para a Coreia do Sul

Kate Silva