Image default
Críticas Música

As You Were é a volta triunfal de Liam Gallagher

Após o fim do Oasis, as coisas pareciam feias para Liam Gallagher, o vocalista principal da banda. Enquanto seu irmão Noel era conhecido como o gênio compositor não só dos maiores hinos da banda, mas de quase 99% do material gravado pelo grupo, Liam muitas vezes era visto como “apenas” uma grande voz, incapaz de tocar ou compor algo que prestasse, fora um ou outro acidente de percurso como a ótima Songbird.

Veja também:

Não ajudou que, nos anos seguintes, a carreira de Noel tenha alçado belos voos com seus High Flying Birds, enquanto Liam batalhava duro para dar alguma credibilidade ao Beady Eye, banda que formou ao lado de outros ex-integrantes do Oasis. A despeito de três ou quatro grandes faixas, seus discos não foram muito bem recebidos, e Liam parecia destinado a cair no ostracismo. Parecia.

Em 2017, Liam voltou aos holofotes, mas desta vez com fôlego renovado. Como o pugilista Rocky em seu sexto filme, o vocalista chegou com toda pinta de lutador, com fogo nos olhos, mostrando que ainda tinha “coisas guardadas no porão”, pronto para esmurrar o mundo da música com toda sua fúria e paixão. Nisso, gravou um dos melhores discos de rock dos últimos anos.

As You Were abre com o amplamente divulgado single Wall of Glass, que você pode ver no vídeo aqui de cima. Bem direta e radiofônica, a música serve como um ótimo cartão de visitas, e revela que Liam conseguiu encontrar uma forma de fazer o seu vocal voltar a render o esperado pelos fãs. Mesmo sem a potência dos tempos de Definitely Maybe, o primeiro disco do Oasis, ele encontrou uma postura de voz perfeita para extravasar seus sentimentos sem castigar demais as cordas vocais, mas sem perder sua “raiva” natural no processo.

A seguir, Bold e Greedy Soul pisam mais fundo no pedal do rock e, com isso, elevam o disco a um novo patamar, que se mantém nas faixas mais lentas Paper Crown e For What It’s Worth. Esta última, inclusive, é a melhor canção do disco, pois parece uma evolução natural das baladas do Oasis, com direito a belos arranjos de cordas.

Normalmente, é neste ponto que começaria a barriga de um disco, mas As You Were prova seu valor com músicas bem sólidas e marcantes. Mesmo antes da genial Chinatown, que mais parece a música que I’m Outta Time sempre deveria ter sido, You Better Run se destaca com sua batida contagiante.

Daí para frente, o disco segue apostando no duelo entre guitarras com riffs rasgantes e canções com voz mais adocicada. Embora a versão normal do disco seja fechada com a bela I’ve All I Need, ela parece um tanto redundante, já que a faixa anterior, Universal Gleam, faz um trabalho no papel de “balada épica com refrão marcante no estilo Be Here Now”.

Com poucos baixos (When I’m in Need e I Get By) e muitos, muitos pontos altos, Liam Gallagher não só voltou em grande estilo ao mundo da música, como está fazendo alguns dos shows mais elogiados do momento em festivais mundo afora. Mais importante, ele provavelmente adoraria saber que o seu As You Were tem muito mais qualidades (e muito mais cara de Oasis!) do que toda a competente produção que seu irmão Noel lançou desde o fim da banda. Definitivamente, Liam está de volta. Mais Mad Fer It do que nunca!

Related posts

Liam “Gigante” Gallagher libera mais uma porrada com Bold

Thomas Schulze

Lollapalooza 2018 anuncia seu lineup oficial

Thomas Schulze

Liam Gallagher segue Mad Fer It em versão ao vivo de For What It’s Worth

Thomas Schulze