Image default
Críticas Games

Gunbird é uma boa opção para quem sente falta dos jogos de navinha

Coloque sua ficha e vamos lá, porque hoje temos um shmup de primeira aqui no PlayReplay! Estamos falando de Gunbird, o clássico jogo de navinha lançado originalmente para fliperamas em 1994. Clique no player abaixo para conferir o nosso review em vídeo!


Veja também:


Desenvolvido pela Psykio, o jogo já passou por diversas plataformas, como o SEGA Saturn e PlayStation, além de PC, mas recentemente foi portado em uma versão muito maneira para o Nintendo Switch. Shmup, se você não sabe, é só uma forma curta de falar shoot ‘em up, aqueles jogos que ficaram conhecidos aqui no Brasil como “jogo de navinha”.

E é claro que Gunbird honra todas as convenções do gênero. Você escolhe um entre cinco personagens bem diversos, cada herói com seus próprios poderes e virtudes, então vale a pena experimentar um pouco de cada até encontrar qual estilo de combate casa melhor com o seu jeito de jogar.

Aì entra aquele bom e velho esquema de sempre: fuja das balas e inimigos na tela a todo custo, enquanto luta para apanhar os power-ups e tentar ficar ainda mais forte para as batalhas complicadas. E põe complicado nisso! Mesmo na sua dificuldade padrão, o jogo é extremamente desafiador. Não chega a ser um Ikaruga, mas certamente não é algo que você vai conseguir zerar de primeira.

Felizmente, há várias formas de regular a dificuldade ao seu gosto. No próprio menu do jogo dá para escolher entre os níveis 1 a 7 de desafio, mas a melhor pedida é pausar e configurar você mesmo o número de vidas e continues, e ir reduzindo ou aumentando os valores conforme você melhora. No menu de opções você também pode reconfigurar os filtros de imagem e volume do som, o que vale a pena, porque aí você pode optar entre algo mais visualmente agradável para sua televisão top de linha, ou tentar deixar o jogo bem com cara de fliperama mesmo.

O Switch permite tirar fotos e gravar vídeos naturalmente durante sua jogatina, o que é um agrado legal, mas a melhor coisa do jogo é mesmo jogar cooperativamente com um amigo a seu lado. Os controles são super simples, e basicamente você só precisa se preocupar em segurar um botão para atirar, e outro para soltar bombas, então pessoas de todas as idades podem mergulhar rápido na jornada sem maiores complicações.

Só faltou mesmo botarem as ceninhas em estilo anime presentes nas versões para consoles

O mais legal é que, jogando em multiplayer, você ganha algumas cenas de corte diferentes entre as fases, e passa a conhecer um pouco melhor os heróis. Não demora muito para zerar, mas logo depois do chefe final você pode recomeçar em um modo bem mais desafiador, ou mesmo se desafiar a somar o máximo de pontos possível.

Gunbird é um jogo de nicho mas, se você sente saudades dos jogos de navinha ou simplesmente pretende descobrir o motivo que leva tanta gente a amá-los, esta é uma boa opção na eShop do Nintendo Switch.

[rwp-review id=”0″]

Related posts

We Happy Few e seus poucos motivos para jogar

Thomas Schulze

Veja o Unboxing da Special Edition de The Legend of Zelda: Breath of the Wild

Guilherme Soares

Atlus oferece descontos no eShop (3DS). Shin Megami Tensei IV por US$19.99

Eidy Tasaka