Image default
Críticas Games

Darksiders III e o outro ponto de vista do apocalipse da saga

Darksiders III conta uma nova história que ocorre em paralelo como segundo jogo da série e entre os eventos da primeira e da segunda parte da aventura de Guerra. Este novo game traz Cólera (ou Fury em inglês), o terceiro Cavaleiro do Apocalipse, como personagem jogável. Assim como nos outros dois títulos anteriores, ela é comandada pelo Conselho de Fogo para manter o equilíbrio entre os mundos do céu, do inferno e da humanidade.

Após os acontecimentos da primeira parte de Darksiders, Guerra foi acusado pelo conselho de ter quebrado os selos do Apocalipse e, por isso, foi mantido preso até então. O conselho, então, invoca Cólera para uma difícil missão que no passado precisou de quatro cavaleiros para ser concluída. Seu objetivo é derrotar os sete pecados capitais que foram soltos de sua prisão por alguém que até mesmo o conselho desconhecia.

Cólera e seu primeiro encontro com Ira

Nesse cenário em que ocorre a conversa entre o conselho e a cavaleira, Guerra está preso e é assim que a Cólera descobre sobre sua traição. Ao partir para iniciar sua missão, ela escuta seu irmão clamando inocência e que ela iria descobrir a verdade sobre os acontecimentos. E é assim que se inicia as aventuras de Darksiders III.

Cólera e não Fome

De acordo com a Bíblia, os quatro Cavaleiros do Apocalipse são Guerra, Fome, Morte e Peste, mas Joe Madureira, diretor de criação da série, tomou mais liberdade na hora da criação dos jogos e trocou Fome e Peste por Cólera e Conflito — sendo que este último ainda não apareceu como personagem jogável.

Cólera é acompanhada pelo seu fiel cavalo, Ímpeto, e seu poderoso chicote, as Farpas do Desprezo. Bem armada e acompanhada, ela possui uma jogabilidade bem diferente dos outros dois irmãos, a Morte e Guerra. Ela é, de fato, mais fraca que os dois, porém mais ágil, contando com sua velocidade e estratégia para lidar com os inimigos.

Dessa forma, é necessário tomar muito cuidado na hora de avançar no mapa, já que qualquer dano tomado pode ser fatal para a protagonista e o game pune muito bem os jogadores por isso. Ao morrer (e pode ter certeza que isso vai acontecer muitas vezes), você volta para o último checkpoint passado na jogatina e, muitas vezes, ele pode ser tão longe que você terá que penar para derrotar os inimigos no caminho de novo para chegar no local onde morreu.

Cólera está furiosa de tanta derrota sofrida no jogo!

Além disso, a dificuldade também implica fortemente no combate. O jogo permite quatro tipos de dificuldade: História, Equilibrado, Desafiador e Apocalíptico, sendo o primeiro o mais fácil e o último a dificuldade máxima do game. O que ela muda em questão de gameplay? Muita coisa, além dos inimigos darem um dano maior a cada nova dificuldade, podendo ter chefes que acabam com você em dois golpes no Apocalíptico, também muda a abertura de tempo de esquiva. Quanto mais difícil o jogo, menor a janela para poder realizar a esquiva perfeita, que permite um golpe de contra-ataque crítico contra o inimigo, ou seja, a sua principal arma de combate para evitar mortes e mais mortes no jogo.

Cólera conta com novas habilidades no decorrer do jogo, elementos do Abismo que vão mudando sua forma de jogar e gerando novas habilidades. Para não dar maiores spoilers, a primeira delas é a Chama Abismal, que concede à personagem a arma Correntes do Desprezo, que é utilizada em combo com o chicote, e permite novos golpes de fogo, além de resolver puzzles no mapa com essa magia.

Quem já jogou Darksiders II deve lembrar que foi implementado um sistema de RPG onde poderia realizar upgrades no personagem, nao é? No terceiro jogo também é possível realizar essa evolução. Ela é separada em três status: Saúde, que aumenta sua vida máxima; Força, que aumenta o dano físico de todos os ataques básicos com a arma primária e secundária; e Arcano, que aumenta o dano de contra-ataques em esquiva, ataques carregados, ataques de fúria e ataques na forma do Caos. Isso mesmo que você leu! Cólera também tem uma transformação assim como seus irmãos, nela é necessário acumular a barra para utiliza-la, ganhando vida e causando um imenso dano ao inimigo, além da invencibilidade temporária.

Cólera e Vigia se preparando para continuar a caça dos pecados capitais!

Mas não é só a Cólera que pode evoluir, suas armas também. Em um momento do jogo, você encontra Ulthane, um forjador que permitirá realizar melhorias nas suas armas; e aprimoramentos, que são runas colocadas nas armas para conceder bônus durante as batalhas. O máximo de upgrade que consegui realizar até o fim do jogo foi de +9, já que fica cada vez mais difícil de coletar o material para realizar o upgrade e deixar os golpes mais fortes.

E o último NPC principal que pode te ajudar é o demônio Vulgrin, personagem que retorna de Darksiders II. Diferente da sua primeira aparição, o demônio faz vendas de consumíveis, ingredientes e especiais, além de poder aumentar seu nível, tudo isso em troca das almas coletadas ao derrotar os inimigos no jogo. Sua última utilidade também são os Buracos de Serpente, que funcionam como uma viagem rápida para outros checkpoints localizados durante o jogo.

Os Sete Pecados Capitais

Como disse anteriormente, a missão da Cólera é derrotar os Sete Pecados Capitais, ou seja, Ira, Gula, Preguiça, Orgulho, Inveja, Ganância e Luxúria. Os Pecados encontram suas formas físicas no jogo e será necessário derrotar cada um deles para cumprir o objetivo e ajudar a manter o equilíbrio no mundo. Cada Pecado possui uma forma diferente, características próprias que, como o próprio nome já diz, representam sua personalidade. Por exemplo, o primeiro Pecado a encontrar é Inveja, que, além de ser o mais fraco dos Sete Pecados, é covarde e inveja todos ao seu redor.

Derrotar os Sete Pecados Capitais não é uma tarefa fácil, ainda mais em um começo de jogo com uma Cólera mais fraca e com um jogador ainda se adaptando aos comandos de esquiva que o jogo impõe. No meu caso, joguei na dificuldade Desafiador e digo logo de cara que apanhei muito desses chefes. Alguns deles até mudei de trajeto para coletar mais almas e evoluir a protagonista para acabar de vez com os miseráveis. Evoluí tanto que os últimos Pecados foram derrotados após algumas tentativas, não mostrando tanta dificuldade quanto no começo. Não sei se foi por ter evoluído uma arma em específico até o +9 ou por ter subido até o nível 51 ao fim do jogo, mas o game foi ficando cada vez mais fácil.

Anjos e Demônios (e Humanos)

Darksiders III é, até o momento, a melhor forma de se trazer um Hack’n’Slash de aventura para os games. Confesso que o gênero não tem muito apelo para mim, mas esse me prendeu do começo ao fim devido à sua trama bem elaborada (característica presente em todos os títulos da série), o gameplay que foca na perfeição da habilidade do jogador e não no nível em que ele se encontra, e a trilha sonora que aumenta e dá mais ênfase nos momentos em que a personagem vive no jogo, como as batalhas, momentos de tensão e reviravoltas que estão presentes no game.

Preguiça não quer nem levantar pra lutar, mas com certeza vai rir de você se te derrotar.

Porém, toda essa empolgação era interrompida inúmeras vezes por telas de carregamento a cada nova região que entrava. Além de demorar para carregar, podendo chegar a 10 ou 15 segundos com a tela travada, muitas vezes me deparei com momentos inoportunos para esses loadings, justamente quando um inimigo escondido ataca imediatamente ao chegar no local e aparece o loading. Como você não faz ideia de quando a tela vai destravar, o golpe já é certeiro, causando um dano em você e, caso sua situação não seja das boas, podendo até te matar. Também é possível perceber que algumas cenas do jogo possuem sua textura ainda carregando, o que faz com que o visual fique um pouco precário até tudo ser carregado completamente.

Apesar disso, Darksiders III faz um grande retorno da franquia de uma maneira esplêndida, garantindo o agrado dos fãs da série e, com certeza, conquistando novos outros que vão querer conhecer mais sobre os Cavaleiros do Apocalipse, a guerra entre os Anjos e Demônios e toda a trama que envolve a série.

[rwp-review id=”0″]

Related posts

Xbox One | Assassin’s Creed 4 e Divinity 2 ganham retrocompatibilidade

Luciana Anselmo

Servidores de ARK: Survival Evolved estão sendo apagados

Luciana Anselmo

Doki Doki Literature Club é uma experiência única

Thomas Schulze