Image default
Séries

Conheça Star Wars Rebels, a animação de Star Wars que você já devia estar assistindo

Há muito tempo, em uma galáxia muito, muito distante, os Jedi foram traídos pela República, secretamente comandada por um poderoso Lorde Sith conhecido como Darth Sidious, e quase todos os guerreiros foram assassinados.

O extermínio, conhecido como a fatídica Ordem 66, porém, não dizimou todos os Jedi: alguns grandes mestres, como Obi-Wan Kenobi e Yoda, conseguiram escapar e se exilaram. Alguns outros Cavaleiros e Padawans conseguiram sair com vida do atentado, e precisaram fugir e se esconder nos confins da galáxia. Dentre eles estava Kanan Jarrus, uma das estrelas da mais recente animação da série, Star Wars Rebels.

 

Rebeldes com causa

Rebels, a animação exibida no canal DisneyXD e baseada na série criada por George Lucas, acompanha a tripulação da nave Ghost, composta dos rebeldes Kanan Jarrus, o humano Jedi líder da equipe; Hera Syndulla, a Twi’lek piloto e segunda em comando; Sabine, uma humana artista cheia de habilidade com tecnologia (e dona de um passado bem misterioso); Zeb, um Lasat sobrevivente de um grande ataque ao seu planeta natal (e um dos poucos sobreviventes de sua espécie); e Chopper, o mascote do grupo, um astromech ranzinza e teimoso. O time tem base em Lothal, um planeta dominado pelo Império, e vive de realizar missões visando atrapalhar os planos e atividades imperiais e ajudar o povo local.

Veja também:

Rumor: Darth Vader pode estar em Rogue One: A Star Wars Story
Análise: Desperte a Força em seu smartphone com Star Wars: Galaxy of Heroes

Em uma de suas missões, o grupo cruza o caminho do jovem humano Ezra Bridger, um “trombadinha” bastante habilidoso… aliás, habilidoso até demais. O rapaz desperta o interesse de Kanan, que acredita ter encontrado uma criança sensível à Força, e depois de algumas desavenças o garoto acaba se juntando ao time da nave Ghost.

Começa, então, a saga dos rebeldes de Lothal, que chamam a atenção do Império graças aos relatos de um possível Jedi e seu Padawan atacando constantemente as bases locais do Império, que trata de enviar alguém para tentar dar um jeito na situação. E assim o Inquisidor, um personagem extremamente hábil no uso da Força e de seu sabre de luz duplo, e alinhado com o Lado Sombrio, entra em cena.

 

A ponte entre as trilogias

A animação tem papel importante no novo canon da série, praticamente resetado após a aquisição de Star Wars por parte da Disney. Como anos e anos de histórias em quadrinhos, livros e jogos foram descartados (sendo considerados agora apenas “lendas” no universo da série, fazendo parte do selo Legends), a Disney tinha agora a missão de preencher novamente as lacunas existentes entre os filmes. E é aí que Rebels entra.

Atenção! A partir daqui o texto pode conter spoiler sobre a primeira e a segunda temporadas de Star Wars Rebels. Se não quiser estragar nenhuma surpresa, pule agora mesmo para a conclusão do texto! Ou continue lendo o próximo trecho por sua conta e risco!

Spoiler-Alert

Passando-se no período entre os Episódios III e IV, Rebels começou a evoluir de forma bem discreta, utilizando praticamente somente personagens novos (mas fazendo menção a personagens da trilogia prequel da saga). Aos poucos, porém, Star Wars Rebels foi reforçando que, sim, tinha chegado para fazer o link entre as duas trilogias cinematográficas, trazendo participações especiais como as de Lando Calrissian, R2-D2 e C-3PO.

Mas a Disney ainda não parecia contente, e a partir da segunda metade da primeira temporada a coisa realmente começa a esquentar: Rebels passa a se integrar cada vez mais com a mitologia criada nos cinemas, fazendo menção a fatos e personagens vistos nas telonas e também em Star Wars: The Clone Wars, a consagrada animação lançada em 2008 no Cartoon Network. Cada novo episódio mergulhava a nova série cada vez mais no canon da saga, inerentemente tornando Rebels uma parte do cânone novo.

E o que já era bom, só ficou melhor com a chegada da segunda temporada. Afinal, a partir daqui os rebeldes da Ghost passam a integrar a grande rebelião, composta por diversas células rebeldes ao redor da galáxia. Se antes a tripulação sob o comando de Kanan e Hera lutava pelo bem do povo de Lothal, agora a responsabilidade era ainda maior: suas missões visavam trazer paz e liberdade para o povo de toda a galáxia.

E, já que a responsabilidade aumentou, nada mais justo do que o time ganhar alguns reforços. Agora, além de Kanan, Hera, Sabine, Zeb, Chopper e Ezra, a equipe também conta com Ahsoka Tano, a antiga Padawan do Cavaleiro Jedi Anakin Skywalker, e seu velho amigo Rex, um exímio ex-Capitão do Exército dos Clones. Com a chegada da dupla, Rebels mergulhava de cabeça na mitologia de Star Wars ao abraçar dois personagens de The Clone Wars como parte do novo time de protagonistas. E isso funcionou incrivelmente bem — principalmente agora que, além de novos e perigosos inquisidores, a grupo precisa lidar com uma ameaça muito mais terrível: Darth Vader.

E se você acha mesmo que isso ainda é pouco, saca só o que a Disney preparou para o final da segunda temporada:

 

Uma grande adição à mitologia

Sem dúvida alguma, Star Wars Rebels é hoje um dos melhores capítulos da história de Star Wars. Sem a necessidade de ter um Skywalker no papel principal, a série mostra que é possível sim ter protagonistas “genéricos” interessantes o suficiente para carregar nas costas uma série desse nível. Kanan, Ezra e companhia hoje são alguns dos melhores e mais adorados personagens da saga, estrelando livros, histórias em quadrinhos e até mesmo um jogo para celulares.

Além disso, o papel que a série exerce é cumprido com excelência por meio de histórias que, ainda que em teoria sejam voltadas para o público infantil, são emocionantes e profundas o suficiente para agradar também ao público adulto. Muitas vezes as tramas são tão incríveis e carregam tanto peso emocional que não raramente você vai sentir aquela lágrima se formando no canto dos olhos.

Se Star Wars é a sua praia e você ainda assim não assistiu a Rebels, dê uma chance à série. Você pode se surpreender com a qualidade de animação, trama e desenvolvimento de personagens que estava perdendo…

Related posts

Lost | Evangeline Lilly é contra um revival da série (e reboots em geral)

Thomas Schulze

Globo e Warner Bros. fecham parceria para exibição de filmes e séries

Luiz Felipe Piorotti

Conheça BB-9E, o rival do BB-8

Thomas Schulze