Image default
Críticas Games

Darkest Dungeon é uma das experiências mais brutais e cativantes do Switch

Fãs de Dungeon Crawlers já estão mais do que acostumados com a natureza imperdoável destes tipos de jogos, afinal, é comum acabar perdendo seus personagens e loot acumulado nas fases mais difíceis. Ainda assim, Darkest Dungeon vai um pouco além disso e se aprofunda no estado mental desses heróis.


Veja também:


Lançado originalmente no PC em 2016, o jogo chamou muita atenção pelo seu visual e por suas mecânicas diferentes. Agora que chegou ao Switch, ele também se mostra como uma das experiências mais interessantes e estressantes que você encontrará no console híbrido da Nintendo.

Update: adicionado review em vídeo em 20/03/2018. Postagem original publicada em 21/01/2018.

Logo de cara, é possível notar que o jogo não é simples como parece, até porque possui diversos fatores que precisam ser levados em consideração. A trama em si começa com você herdando um terreno cujos calabouços e catacumbas foram escavados de tal forma que portais para dimensões sombrias se abriram e liberaram criaturas horrendas. Seu trabalho é recrutar aventureiros para explorar esses calabouços para limpar o terreno deste mal.

https://youtube.com/watch?v=2EKrpRj9HEY

São nessas dungeons que você encontrará dinheiro e heranças de seus antepassados, o que também revelará o que eles fizeram para conseguir poder e conhecimento. Apesar de interessante, a trama acaba sendo um fator totalmente secundário e que pode ser ignorado pela maioria dos jogadores.

O interessante mesmo é montar sua equipe e visitar cada uma das dungeons geradas aleatoriamente. No caso, você só pode levar quatro pessoas em cada expedição, então sua estratégia já começa com a seleção dos personagens. Cada um possui golpes específicos, traços positivos e negativos, resistências, fraquezas e preferência de posição de ataque.

darkest dungeon combate

Ainda há a chance de comprar itens que vão te auxiliar nas dungeons, incluindo alimento, tochas para iluminar o caminho, remédios para curar doenças, bandagem para impedir o sangramento e muito mais. É claro que mesmo com os heróis mais preparados e com um bom número de suprimentos, não dá para adivinhar o que te aguarda em cada dungeon e é exatamente aí que o jogo começa a ter efeito sobre o próprio jogador.

Em vez de tratar os aventureiros como cavaleiros desmetidos e perfeitos, Darkest Dungeon tenta passar uma experiência mais real do que alguém sentiria ao enfrentar monstros em um calabouço escuro. Cada novo cômodo, criatura, ataque e armadilha que aparece tem a chance de deixar sua equipe mais estressada, o que é exibido em quadradinhos brancos embaixo dos pontos de vida de cada personagem.

O estresse e medo pode chegar em um nível tão alto que a determinação do personagem é testada e ele pode sucumbir a um comportamento extremamente negativo ou se tornar mais revigorado (algo bem mais raro). É nesta hora que eles geralmente tornam paranoicos, masoquistas, egoístas, irracionais ou abusivos, só para citar alguns exemplo.

darkest dungeon aflição

Obviamente que isso deixa a exploração e o combate bem mais difíceis, mas o interessante é que o estresse dos personagens permanece mesmo depois que você deixa a dungeon. Além disso, eles podem desenvolver traços permanentes (sejam positivos ou negativos) com relação ao que vivenciaram na aventura.

Isso pode ser tratado com a ajuda dos estabelecimentos encontrados no vilarejo próximo às dungeons, o que inclui uma igreja, um bar e um sanatório. É claro que para piorar a situação, esses lugares podem criar certos vícios nos personagens se eles abusarem de sua estádia por lá.

Toda essa falta de controle por parte do jogador acaba te colocando em uma posição estressante por si só, o que torna sessões muito longas quase impossível. O provável é que você vá explorar de uma a três dungeons e se sentir exausto ou derrotado pelo destino dado a cada de um dos personagens da sua equipe.

darkest

Isso definitivamente podia ser meio chato de lidar na versão de PC, mas essas partidas mais curtas funcionam muito bem no Switch. Além disso, você sempre acaba se sentindo tentado a voltar ao game e tentar de novo e prosseguir até a Darkest Dungeon, o último e mais perigoso calabouço. De certa forma, todos esses fatores dão um nível de satisfação muito maior quando você é bem sucedido em uma de suas aventuras, mesmo que isso tenha lhe custado a sanidade dos membros da sua equipe.

Talvez algumas pessoas só encontrem problemas em ler os tutoriais, detalhes sobre a trama ou informações dos estabelecimentos do vilarejo, já que o tamanho da fonte tende a ser meio pequeno na tela do Switch. Ainda assim, todo o conteúdo está disponível em português, o que já facilita bastante a leitura para a maioria dos jogadores brasileiros.

darkest dungeon

Outro aspecto deste port que vale a pena ser mencionado é o uso da tela de toque do console, que pode ser usada para absolutamente tudo no jogo. Isso significa que você nem precisará usar os Joy Cons no modo portátil se não quiser, mas mesmo os controles normais são bem intuitivos.

De qualquer forma, é fácil afirmar que este é outro game perfeito para a plataforma da Nintendo, especialmente para quem não teve a oportunidade de experimentá-lo antes. Só é bom ter em mente que Darkest Dungeon não é um título fácil de jogar e não dizemos isso só por sua dificuldade, mas pelo efeito que ele terá diretamente sobre você.

[rwp-review id=”0″]

Related posts

Pokémon | Filme de 2018, Minna no Monogatari ganha trailer completo

Thomas Schulze

Steam | Confira as principais promoções do Ano Novo Lunar

Luciana Anselmo

Surpreendente, Deadpool 2 é cinema descontraído, divertido e cheio de ação

Rodrigo Estevam